Cá estou…

Fui empresária por quase 10 anos, em 2006 decidi que precisava mudar, pois estava com necessidade de novas experiências e desafios. Aquela velha história de quem fica muito tempo fazendo a mesma coisa, tendo chegado ao máximo do que achava possível. Pelo menos era isso que eu sentia naquele momento, o que me fez sair em busca de novos conhecimentos.

Foi quando me deparei com a Comunicação, mais especificamente com a Publicidade, desencadeando um “amor à primeira vista”. Identifiquei-me com tudo, e o melhor é que minha experiência anterior se encaixava perfeitamente na primeira agência que me chamou para uma entrevista. A expertise na área comercial era o que eles precisavam na época, e como contrapartida me ensinariam tudo, ou quase tudo, sobre marketing digital. Essa parceria durou alguns anos, resistiu a duas fusões, administrações completamente distintas, meu primeiro case em redes sociais, equipe muito unida (saudades galera) e MUITO aprendizado.

De lá para cá passei por algumas agências bem legais, reconhecidas no mercado, acumulando ainda mais conhecimento. Há poucos meses percebi que estava me questionando a respeito do formato de trabalho em agências de publicidade, também comecei a sentir uma forte necessidade de voltar a ter meu próprio negócio para aplicar o que de fato acredito, não apenas nas estratégias de comunicação como na administração, setor que vejo muita carência nesse segmento. A veia administrativa e empreendedora falou mais alto e em julho desde ano resolvi me desligar da agência para iniciar a minha consultoria em marketing digital, surgindo esse blog e outras iniciativas que em tempo compartilharei por aqui.

Mas não bastava me apresentar como consultora, cada negócio deve ter um propósito maior que simplesmente ganhar dinheiro. Descobri-me uma entusiasta de negócios e do digital, sabendo que hoje não se pode pensar numa empresa sem considerar a tecnologia como uma aliada imprescindível tanto para a comunicação como, principalmente, para a gestão administrativo-financeira. Ainda assim o propósito não me parecia forte o suficiente para me apresentar aos prospects, por que eles me contratariam? Qual seria o meu diferencial?

Pois bem, voltando à época de empresária me lembrei das dificuldades em adequar as práticas de marketing e comunicação à minha realidade. Minha antiga empresa era pequena, não havia planejamento estratégico, tão pouco financeiro para investimento. Não sabia nem por onde começar, apesar de ter consciência que precisava fazer algo para divulgar meus produtos e serviços. É certo que não havia as inúmeras ferramentas disponíveis hoje, ainda mais as gratuitas. O que de fato reduzia muito as minhas possibilidades.

Então resolvi focar nas pequenas empresas, carentes de conhecimentos em marketing digital como disciplina e aplicando as melhores práticas em comunicação para a realidade do seu negócio.empresas

Registro aqui o meu total apoio à iniciativa do Sebrae ao projeto “Compre do pequeno”, que tem por objetivo fortalecer e valorizar essa importante fatia do mercado produtivo do nosso país.

SMWSP 2015

Social Media Week São Paulo 2015

Um dos eventos mais importantes do mundo, quatro dias repletos de palestras, experiências e orientações em torno do marketing digital, mais especificamente em redes sociais.

De todas as palestras que assisti duas chamaram a atenção pelo conteúdo e/ou formato. Os temas talvez mereçam mais atenção, aqui registro apenas algumas impressões para iniciar reflexões em torno dos assuntos.

Como gerenciar uma operação de Marketing Digital do financeiro à entrega.

Mostrar a importância de uma administração consciente, profissional e com atenção nas pessoas não é comum, ainda mais em um evento como esse. A proposta da palestra deixava claro o que seria abordado “O período da “internet moleque” acabou e com isso várias agências digitais estão operando no vermelho ou fechando as portas, geralmente por falta de conhecimentos mais avançados de administração e gestão. Vamos contar como transformamos uma pequena agência digital em um grupo com mais de 70 funcionários e quais foram nossos aprendizados nesse caminho.”, mesmo assim a plateia contava mais com profissionais em busca de melhores práticas para o seu dia a dia do que administradores ou donos de agências. Tenho visto boas agências sofrendo pela falta de uma administração eficiente ou mesmo cientes de que isso é necessário. Os gestores, de forma geral, são publicitários distantes do perfil de um administrador de empresas. Aliás, isso precisa ficar claro, uma agência é, antes de tudo, uma empresa, e como tal precisa de um plano administrativo eficaz. O mercado já não perdoa uma gestão amadora, tão pouco os colaboradores estão dispostos a dedicar seu tempo e conhecimento a uma empresa que não preze pela qualidade e eficiência em suas entregas, ou que não se preocupe com o bem-estar da equipe.

A crise muitas vezes é a vilã, assumindo responsabilidade total pelos problemas financeiros das empresas. O que não se vê é que em muitos casos a falha administrativa foi a grande responsável, que dá sinais ao longo do tempo. É fácil cuidar da conta bancária quando ela está recheada de dilmas, complicado mesmo é saber como gastar os poucos centavos que restam, ainda mais quando não se sabe ao certo o faturamento e/ou as despesas que a empresa tem. Do outro lado temos as pessoas, bem maior de qualquer organização, que muitas vezes é lembrada apenas na entrega dos jobs. A rotatividade de profissionais vem aumentado ao longo dos anos, comprometendo o planejamento das agências (quando tem) quanto à formação do quadro de colaboradores, tendo forte impacto na qualidade das entregas para os clientes. Talvez seja um dos motivos pela “infidelidade” na relação comercial entre agência x cliente, mas esse é tópico para outro post.

As boas agências serão aquelas com administração e gestores profissionais, foi-se o tempo do amadorismo. Os empresários precisam ficar atentos e se adequarem o quanto antes, tendo assim um verdadeiro diferencial competitivo, frente a clientes e colaboradores.

Social Media Hacked: Como ser um profissional mais eficiente nas redes sociais

Foi a melhor palestra do evento!

Mesmo não tendo assistido todas, foi a que justificou o evento em minha opinião.

“Como tornar seu trabalho com redes sociais ainda mais eficiente? Este é o desafio de uma palestra direta e descontraída. Apresentando soluções criativas e ferramentas que podem mudar sua maneira de trabalhar com as redes sociais. A palestra terá uma rápida introdução ao cenário atual, ferramentas de produtividade no trabalho de social media e futuras tendências.”

O breve release estava tímido, visto o conteúdo e a forma como o Juliano Kimura conduziu aquele momento, que para mim foi também para quebrar alguns paradigmas. Várias crenças foram derrubadas e outras construídas, parece impossível vivermos sem algumas delas, o que importa é saber no que se crê para entender completamente o meio.

O Facebook, maior rede social do mundo, não funciona por acaso, assim como o Google não é uma empresa filantrópica. Cada um tem seus objetivos e para alcança-los nos propõem algumas “trocas”, assim podemos usufruir de seus ambientes fartos de informações e ferramentas.

Saber o que queremos das redes e o que precisaremos dar em troca é o diferencial entre ser mais um ou estar de fato presente. Para planejar a presença digital de uma marca, seja ela empresa ou não, é importante estar por dentro das funcionalidades técnicas e entender minimamente a estrutura tecnológica do meio a ser trabalhado. Comunicação e tecnologia já não vivem separadas ❤

Algumas palestras já estão disponíveis em vídeo, aqui.

Tem muita coisa boa também 😉